Quem Somos

O Observatório de Inovação Social da Fronteira (OBISFRON) é uma plataforma digital e colaborativa que tem por objetivo apresentar o Ecossistema de Inovação Social (EIS) da fronteira Brasil-Bolívia, especificamente dos municípios de Corumbá e Ladário (Brasil) e de Puerto Suárez e Puerto Quijarro (Bolívia). Um EIS é um dispositivo técnico que permite compreender como ocorre a inovação social (um processo de mudança social, resultado de um enfrentamento de um problema público) através do mapeamento de uma rede de iniciativas (que promove a ação) e de suporte (que financia e/ou apoia a causa), identificando suas interações, seu campo de atuação (meio ambiente, infância, saúde, educação e outros) e como isso reflete um Bem Viver coletivo para essa comunidade.

Reconhecer um EIS é uma forma democrática de demonstrar e apoiar as experiências participativas na nossa região, pois, para impulsionar a mudança social em grande escala, precisamos colocar em destaque a experiência das comunidades, reconhecendo seus desafios, suas atividades, suas necessidades e suas parcerias. Sua ação tem potencial de impactar a vida de muitas pessoas nessa fronteira, além da fauna e da flora pantaneira.

Observar as Fronteiras” tem um sentido duplo. Primeiro, a fronteira tem um sentido territorial, pois o OBISFRON cartografa o engajamento público e as ações coletivas de organizações plurais de indivíduos, grupos, associações, políticos, empresas e outros, que compartilham uma identidade coletiva, visibilizando suas ações e os principais problemas públicos que elas enfrentam. Segundo, a fronteira é entendida como uma estratégia para religar conhecimentos e campos científicos, fazer avançar a fronteira do conhecimento através da transdisciplinaridade, favorecendo os processos dialógicos e colaborativos junto às lutas de comunidades e movimentos sociais da fronteira Brasil-Bolívia (Sul Global).

As cores e o design da logo se inspiram na abordagem do Bem Viver (comentado no menu Metodologia)

Apresentação do NEISF

O OBISFRON é um Programa de Extensão do Núcleo de Estudos de Inovação Social da Fronteira (NEISF), grupo de pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus do Pantanal (UFMS-CPAN), cujo objetivo é trabalhar de forma articulada ações de pesquisa, ensino, extensão e inovação na sociedade, para a construção do bem público.

Criado em 2021, o NEISF tem duas linhas de pesquisa: “Gênero, Culturas Políticas e Sociabilidades” e “Inovação Social, Democracia e Sustentabilidade”. Sob esse prisma, objetiva:

  • Formar um grupo de pesquisadores e pesquisadoras das áreas e das temáticas abarcadas pelo Núcleo;
  • Realizar pesquisas e estudos acerca das iniciativas de inovação social e do Bem Viver, compreendendo os efeitos do ecossistema de inovação social na governança dessa fronteira;
  • Realizar parcerias com instituições públicas e organizações da sociedade civil, com a finalidade de disponibilizar as ferramentas teóricas e metodológicas da universidade para a construção do bem público;
  • Promover ações de extensão como estratégia de recuperação e compartilhamento de saberes e construção de estratégias para a superação dos problemas públicos, através de diálogos com a sociedade civil;
  • Disseminar a cultura científica entre os alunos e as alunas de graduação, contribuindo com sua formação discente e com o fortalecimento do seu currículo.

Confira as informações do NEISF no Diretório do CNPq

Projetos e Pesquisas

Projetos de Pesquisa

Observatório de Inovação Social da Fronteira: fortalecendo a democracia na fronteira Brasil-Bolívia
Coordenador: Anderson Luís
Financiamento: CNPq (Universal CNPq/MCTI Nº 10/2023)  e UFMS (bolsistas de Iniciação Científica)
Vigência: 2024-2026
Resumo: Este projeto visa ampliar a cartografia em arenas públicas do Ecossistema de Inovação Social na fronteira Brasil-Bolívia. Ao longo de três anos, as ações visam ampliar e refinar as bases de dados do OBISFRON, lançar uma série de publicações sobre o diálogo inovação social, políticas públicas e governança; além de disseminar a inovação social na região, através do diálogo direto com as iniciativas que promovem a ação. além disso, os resultados contribuirão com discussões científicas nacionais e internacionais, através das parcerias firmadas e da discussão teórica sobre inovação social e território.

Por uma Educação Antirracista: a valorização da história, saberes e tradições das Comunidades Quilombolas de Corumbá/MS
Coord. Douglas Voks
Financiamento: Fundect (Chamada 10/2023 Pictec 2023)
Vigência: 2023-2024
Resumo: O objetivo desse projeto é promover, com os estudantes do ensino médio, um debate para o enfrentamento das desigualdades raciais no ambiente escolar a fim de fomentar uma educação antirracista, utilizando como fonte de análise as experiências da Comunidades Quilombolas de Corumbá/MS. Ao final, espera-se contribuir com o fortalecimento da história e com a cultura local através do resgate e da valorização das comunidades quilombolas de Corumbá, tendo sua trajetória organizada e divulgada na cartilha didática sobre educação antirracista, que será entregue para as escolas de Corumbá e Ladário.

Ecossistema de Inovação Social: uma análise da mobilização da sociedade civil diante das desigualdades socioambientais na fronteira Brasil-Bolívia.
Coordenador: Anderson Luís
Financiamento: Fundect (Edital Universal 21/2021), Capes, CNPq e UFMS (bolsistas de Iniciação Científica)
Vigência: 2022-2024 (finalizado)
Resumo: Este projeto busca identificar e mapear o Ecossistema de Inovação Social (EIS) na zona fronteiriça Brasil-Bolívia, para compreender a incidência e as práticas locais transnacionais empreendidas pelas Organizações da Sociedade Civil (OSC) e seus parceiros na região. Após essa identificação, correlacionamos a área de atuação da OSC a alguns dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Como produto final, além do ecossistema que compõem o OBISFRON, uma série de cartilhas estão sendo criadas visando disseminar a cultura da inovação social na região, da escola (ensino fundamental e médio), passando pela universidade até à gestão pública.

Arena Pública de Mulheres: reconhecendo a participação das mulheres no enfrentamento às desigualdades na região de Corumbá/MS
Coordenadora: Vivian da Veiga Silva
Financiamento: Fundect (Chamada Mulheres na Ciência n.10/2022) e UFMS (bolsistas de Iniciação Científica)
Vigência: 2022-2024
Resumo: A região de Corumbá é constituída pela conurbação urbana formada pelos municípios fronteiriços de Corumbá e Ladário (Brasil) e Puerto Suárez e Puerto Quijarro (Bolívia). Reconhecendo essa particularidade, é fundamental buscarmos compreender as especificidades dos problemas públicos identificados e enfrentados pela população local, assim como identificar os espaços onde são construídas propostas coletivas voltadas para o Bem Viver coletivo. Nesse sentido, a presente pesquisa tem como objetivo central compreender como se constitui a arena pública de mulheres na região de Corumbá e quais são os problemas públicos que as iniciativas e demais mobilizações buscam enfrentar, sob o prisma do feminismo comunitário e decolonial. A partir do mapeamento, foram encontradas 13 iniciativas coletivas de mulheres de Corumbá e Ladário, dos quais 9 foram entrevistadas (para ver, acesse item Iniciativas aqui no site). Também foram mapeados dos 2 órgãos municipais relacionados às políticas públicas para mulheres, aqui entendidos como instituições de suporte (para ver, acesse o item Suporte aqui no site). Com a realização das entrevistas, foi possível identificar 2 problemas públicos que afetam o cotidiano das mulheres na região: violência e geração de renda/insegurança alimentar. A partir dos resultados obtidos, será realizado a partir do ano de 2024 um projeto de extensão que visará potencializar as iniciativas coletivas de mulheres a partir dos campos de ação do feminismo comunitário.

O Banho de São João: uma análise do patrimônio imaterial e a produção de material didático para o fomento da história de Corumbá
Coord. Douglas Voks
Financiamento: Fundect (Chamada 15/2022 Pictec 2022)
Vigência: 2022-2023 (finalizado)
Resumo: O objetivo desse projeto de pesquisa é analisar, com os alunos do Ensino Médio, os sincretismos religiosos e culturais do Banho de São João, patrimônio imaterial de Corumbá, e as suas interdições na formação identitária da população de Corumbá/MS. Através de um levantamento bibliográfico, documental e com utilização da História Oral, busca-se fazer uma historicização dessa festividade e compreender como ela se insere na cultura da cidade. Ao final, espera-se fomentar a história local com a produção de uma cartilha didática, que será disseminada em formato digital e impresso nas escolas da região, visando auxiliar os professores de História de Corumbá, que hoje não possuem um material didático específico sobre o São João para ser trabalhado em sala de aula.

Eventos Científicos

I Simpósio de Gênero e Desigualdades: Vozes e pensamentos decoloniais e pós-coloniais
Coord. Vivian da Veiga Silva
Financiamento: Fundect (Chamada 22/2023 – PAE-MS 2023) e UFMS.
Periodicidade: Bienal
Esse evento científico terá como objetivo debater essas temáticas a partir da experiência e da vivência em um território de fronteira. Para isso, a programação contará com 03 palestras, 04 oficinas e apresentação de trabalhos nas modalidades exposição de banners e apresentação de trabalho em Grupo Temático. Em sua primeira edição, abordará o tema Vozes e pensamentos decolonias e pós-coloniais, no período de 12 a 14 de março de 2025, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/Campus do Pantanal (Corumbá). Maiores informações serão divulgadas no segundo semestre de 2024.

Encontro Latino-Americano de Bem Viver e Inovação Social (ELABVIS)
Coord. Anderson Luís
Financiamento: Capes (Chamada 11/2023 Paep), Fundect (Chamada Mulheres na Ciência n.10/2022) e UFMS.
Periodicidade: Bienal
O Elabvis tem por finalidade criar/articular uma rede latino-americana de inovadores sociais e de experiências de Bem Viver, a partir da troca de saberes (científicos e populares) entre uma pluralidade de públicos, tais como pesquisadores(as), discentes da graduação e da pós-graduação, empreendedores(as) sociais, gestores(as) de organizações comunitárias, servidores(as) públicos, experiências de mandados coletivos e a sociedade civil em geral de toda a América Latina. A 1ª edição ocorreu em maio de 2024 e a próxima será em 2026! Clique aqui para maiores informações

Projetos de Ensino

I Seminários de Internacionalização do NEISF
Coord. Anderson Luís
Vigência: 03/2024 – 11/2024
Resumo: O 1 Seminários de Internacionalização do Neisf (Núcleo de Estudos de Inovação Social da Fronteira) tem por objetivo promover a internacionalização do ensino e a diversificação da teoria através de diálogo com os professores e professoras da América Latina com as linhas de pesquisa do NEISF. Esta ação será realizada através de 4 palestras internacionais transmitidas no YouTube do Neisf

Seminários de Pesquisa do Núcleo de Estudos de Inovação Social da Fronteira
Coord. Anderson Luís
Vigência: 2022 – atual
Resumo: Este Seminário tem por objetivo fortalecer e articular docentes e discentes do Neisf nas duas linhas de pesquisa do Núcleo. Durante o evento, ocorrem lançamento de publicações, relatório anual do OBISFRON, apresentação de pesquisas dos bolsistas de iniciação científica e dos mestrandos e outros. O evento ocorre sempre no dia 04 de outubro, data de aniversário do OBISFRON.

Ciclo de palestras “Por uma ecologia dos saberes: reflexões científicas e ações da sociedade civil na fronteira Brasil-Bolívia”
Coord. Vivian da Veiga
Vigência: 2022 – 2023 (finalizado)
Resumo: O ciclo de palestras teve como objetivo a apresentação de reflexões teóricas desenvolvidas pelo NEISF, juntamente com a apresentação de ações da sociedade civil na fronteira Brasil-Bolívia. No decorrer do projeto de ensino, foram realizadas 03 palestras no CPAN/UFMS sobre as temáticas de mulheres, educação ambiental e memória. Cada palestra contou com uma média de 40 participantes, sendo acadêmicos e acadêmicas dos cursos de graduação de Administração, História e Psicologia. No total, tivemos uma média de 100 participantes no decorrer do desenvolvimento do projeto de ensino, sendo que 28 acadêmicos receberam certificação. Com isso, compreendemos que o ciclo de palestras propiciou conhecimento em diversas áreas, de maneira a complementar os conteúdos abordados em sala de aula.

Projetos de Extensão

Laboratórios Vivos de Inovação Social: comunidade e prática em foco
Coord. Anderson Luís
Vigência: 2022-2024 (finalizado)
Resumo: A região fronteiriça se apresenta como um espaço marcado pela ausência de políticas públicas eficazes na garantia de direitos de sua população. Nesse sentido, as inovações sociais emergem como importantes estratégias comunitárias na busca pelo enfrentamento e pela resolução dos problemas públicos que afetam suas vidas cotidianamente. Este projeto visa criar um espaço de experimentação, aprendizagem e colaboração para os acadêmicos do curso de Administração do Campus do Pantanal e para as comunidades dos municípios de Corumbá e Ladário através do LABvis, um espaço de articulação entre ensino, pesquisa e extensão para a geração de atividades inovadoras e participativas, permitindo o estreitamento do diálogo entre universidade e comunidade local, assim como proporcionar aos acadêmicos o exercício da cidadania e a operacionalização dos conteúdos ministrados nas disciplinas.

Equipe

O OBISFRON reúne professoras(es) e pesquisadoras(es) da UFMS-CPAN, do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) e da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul (SED-MS), que orientam bolsistas de iniciação científica dos cursos de Administração, Psicologia e História, discentes do Mestrado Profissional em Estudos Fronteiriços e discentes da Rede Estadual de Ensino (Escola Júlia Gonçalves Passarinho, JGP).

Coordenação

Prof. Dr. Anderson Luís do Espírito Santo (UFMS-CPAN)

Líder e pesquisador do NEISF/OBISFRON

Profa. Dra. Vivian da Veiga Silva (UFMS-CPAN)

Vice-líder e pesquisadora do NEISF/OBISFRON

Prof. Dr. Douglas Voks (SED-MS)

Pesquisador do NEISF/OBISFRON

Dra. Flávia Pedrosa de Camargo (IFMS-CB)

Pesquisadora do NEISF/OBISFRON

Discentes

Érika Luana Lopez Flores

Discente no Mestrado Profissional em Estudos Fronteiriços

Lenita Maria Bernardo Estra Mendes

Bolsista de Iniciação Científica, curso de Administração

Naitielly Soria de Moraes

Bolsista de Iniciação Científica, curso de Administração

Roberson Franco da Costa

Discente no Mestrado Profissional em Estudos Fronteiriços

Sarah Helena dos Santos Soares

Bolsista de Iniciação Científica, curso de Psicologia